top of page
  • Foto do escritorFábio Malavoglia

Ep. 69 - Palavras pela Paz

William Blake Divine Image (1789, from «Songs of Innocence») To Mercy, Pity, Peace, and Love,

All pray in their distress, And to these virtues of delight Return their thankfulness.

For Mercy, Pity, Peace, and Love, Is God our Father dear; And Mercy, Pity, Peace, and Love, Is man, his child and care.

For Mercy has a human heart Pity, a human face; And Love, the human form divine; And Peace, the human dress.

Then every man, of every clime, That prays in his distress, Prays to the human form divine: Love, Mercy, Pity, Peace. And all must love the human form, In heathen, Turk, or Jew. Where Mercy, Love, and Pity dwell, There God is dwelling too. *** William Blake Divina Imagem (1789, das “Canções da Inocência”) tradução Fabio Malavoglia Clemência, Piedade, Amor e Paz

Pedimos na hora da aflição,

E a tais virtudes de doçura Retorna a nossa gratidão.


Clemência, Piedade, Amor e Paz, por elas é Deus, o Pai, querido; Clemente, Piedoso, Amante e em Paz, é o Homem, seu filho protegido.


Clemente, por ter um coração humano,

Piedoso, daí a sua humana face;

De Amor, divina, a forma humana,

De Paz, a sua humana veste. E todo homem então, do oeste até o leste, Orando, na hora da aflição, Que ore, divina, à forma humana: Clemência, Amor, Piedade, Paz.


E unidos a humana forma amem, Pagão, islâmico, ou judeu. Pois onde Clemência, Amor e Paz habitam,

lá Deus também se estabeleceu. .................................................................... Sophia de Mello Breyner Andresen

A paz sem vencedor e sem vencidos


Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Que o tempo que nos deste seja um novo

Recomeço de esperança e de justiça.

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos


A paz sem vencedor e sem vencidos


Erguei o nosso ser à transparência

Para podermos ler melhor a vida

Para entendermos vosso mandamento

Para que venha a nós o vosso reino

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos


A paz sem vencedor e sem vencidos


Fazei Senhor que a paz seja de todos

Dai-nos a paz que nasce da verdade

Dai-nos a paz que nasce da justiça

Dai-nos a paz chamada liberdade

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos


A paz sem vencedor e sem vencidos.

....................................................................


Jorge Luís Borges dos Fragmentos de um Evangelho Apócrifo Não falo de vinganças nem de perdões, o esquecimento é a única vingança e o único perdão. .................................................................... Louis Cattiaux de “A Mensagem Reencontrada” XXXX 4 . Lembremo-nos das más ações que cometemos e esqueçamos as que sofremos. XXXX 4’. Lembremo-nos das boas ações recebidas e esqueçamos as que fazemos.

....................................................................


Gilberto Gil primeira estrofe de “A Paz”


A paz, invadiu o meu coração

De repente me encheu de paz

Como se o vento de um tufão

Arrancasse meus pés do chão

Onde eu já não me enterro mais...


....................................................................

Ricardo de Carvalho Duarte, Chacal de uma crônica na Folha de São Paulo “Com os dois lados falando a mesma língua, fica fácil um esmagar o outro, com seus canhões e suas razões históricas”. ....................................................................


Martin Luther King O perdão é um catalisador que cria a ambiência necessária para uma nova partida, para um reinício. .................................................................... Mahatma Gandhi O fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte. .................................................................... Louis Cattiaux de “A Mensagem Reencontrada”


XVII 22. Uma pequena paz vale mais do que um grande poder... .................................................................... Boris Vian Le Déserteur Monsieur le Président

Je vous fais une lettre

Que vous lirez peut-être

Si vous avez le temps

Je viens de recevoir

Mes papiers militaires

Pour partir à la guerre

Avant mercredi soir

Monsieur le Président

Je ne veux pas la faire

Je ne suis pas sur terre

Pour tuer des pauvres gens

C’est pas pour vous fâcher

Il faut que je vous dise

Ma décision est prise

Je m’en vais déserter

Depuis que je suis né

J’ai vu mourir mon père

J’ai vu partir mes frères

Et pleurer mes enfants

Ma mère a tant souffert

Qu’elle est dedans sa tombe

Et se moque des bombes

Et se moque des vers

Quand j’étais prisonnier

On m’a volé ma femme

On m’a volé mon âme

Et tout mon cher passé

Demain de bon matin

Je fermerai ma porte

Au nez des années mortes

J’irai sur les chemins

Je mendierai ma vie

Sur les routes de France

De Bretagne en Provence

Et je dirai aux gens

Refusez d’obéir

Refusez de la faire

N’allez pas à la guerre

Refusez de partir

S’il faut donner son sang

Allez donner le vôtre

Vous êtes bon apôtre

Monsieur le Président

Si vous me poursuivez

Prévenez vos gendarmes

Que je n’aurai pas d’armes

Et qu’ils pourront tirer.

***

Boris Vian O Desertor

tradução Fabio Malavoglia Senhor meu Presidente

Quiçá se no fim do mês

Lhe sobre quem sabe talvez

Tempo de ler a presente Pois recebi a costumeira

Convocação militar

Para que vá guerrear

Antes da quarta feira

Senhor meu Presidente

Eu não quero fazer isso

Na terra não vim a serviço

De matar uma pobre gente

Não é para lhe irritar

Mas é preciso que o diga

A decisão já é antiga:

Eu decidi desertar

Desde que nasci aqui

Assisti morrer meu pai

Ao irmão que então se vai

E a meus filhos chorar vi

A tal dor toda mãe sucumba

Mas a minha apenas zomba

Dos versos quanto das bombas

Porque já foi para a tumba Quando eu estava preso

Me tiraram minha esposa

E o que da alma repousa

No meu passado indefeso

Por isso amanhã cedinho

Eu vou bater minha porta

Na cara da história morta

Vou sair pelo caminho

A mendigar minha vida

Pelas estradas da França,

Bretanha e demais andanças

E vou dizer à torcida

Recusem ceder à espora

Recusem esta balela

Não vão jamais para a guerra

Recusem-se a ir embora

Mas se doar for urgente

O sangue a esta dieta

Dê o seu qual bom profeta

Da guerra meu Presidente

E se quiser me agarrar

Avise aos seus soldados

Que eu não estou armado

E que podem atirar.

....................................................................









7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page