top of page
  • Foto do escritorFábio Malavoglia

Episódio 37

LOUVOR DO ÚLTIMO LUGAR

Textos do Episódio


.

 

Palavras atribuídas a Confúcio, segundo a Tradição, após o encintro dele com Lao Tsé Acabo de ver um homem cujos pensamentos se elavem a grandesalturas, como o voo dos pássaros no azul... Acabo de ver um homem de idéias misteriosas e inacessíveis como um abismo... Vi Lao Tsé como quem contempla um dragão. O queixo caiu-me e não pude respirar. Meu espírito, extraviado, não sabia onde repousar.

 

Lao Tsé Aforismo 67 do Tao Te King (fragmentos) Todos dizem que sou grande,

mas que pareço um deserdado.

Ora, justamente por ser grande,

se é deserdado....

Para mim há três coisas preciosas,

às quais estou atado e que tenho em alta estima.

A primeira é a caridade.

A segunda é a economia.

A terceira é a humildade,

que faz com que não ousemos colocar-nos à frente do Mundo para agir.

Pela caridade, pode-se ser audacioso.

Pela economia, pode-se ser generoso.

Pela humildade, podem-se realizar grandes coisas.

Hoje em dia, falta caridade, e consequentemente coragem.

Falta economia, e consequentemente generosidade.

Rejeita-se o último lugar, e assim perde-se o primeiro.


 

Olavo Bilac Língua Portuguesa Última flor do Lácio, inculta e bela,

És, a um tempo, esplendor e sepultura:

Ouro nativo, que na ganga impura

A bruta mina entre os cascalhos vela...


Amo-te assim, desconhecida e obscura.

Tuba de alto clangor, lira singela,

Que tens o trom e o silvo da procela,

E o arrolo da saudade e da ternura!


Amo o teu viço agreste e o teu aroma

De virgens selvas e de oceano largo!

Amo-te, ó rude e doloroso idioma,


em que da voz materna ouvi: "meu filho!",

E em que Camões chorou, no exílio amargo,

O gênio sem ventura e o amor sem brilho!


 

Paulo Leminski Último Aviso

caso alguma coisa me acontecer,

informem a família,

foi assim, assim tinha que ser


tinha que ser dor e dor

esse processo de crescer


tinha que vir dobrado

esse medo de não ser


tinha que ser mistério

esse meu modo de desaparecer


um poema, por exemplo,

caso alguma coisa me suceder,

vá que seja um indício


quem sabe ainda não acabei de escrever.


 

Evangelho de São Mateus 19, v. 30 Entretanto, muitos que são primeiros serão últimos; e muitos que são últimos serão primeiros.


 

Cecília Meireles

O Último Andar No último andar é mais bonito:

do último andar se vê o mar.

É lá que eu quero morar.


O último andar é muito longe:

custa-se muito a chegar.

Mas é lá que eu quero morar.


Todo o céu fica a noite inteira

sobre o último andar

É lá que eu quero morar.


Quando faz lua no terraço

fica todo o luar.

É lá que eu quero morar.


Os passarinhos lá se escondem

para ninguém os maltratar:

no último andar.


De lá se avista o mundo inteiro:

tudo parece perto, no ar.

É lá que eu quero morar:


no último andar.


 

Alberto Caieiro (heterônimo de Fernando Pessoa)

Última estrela a desaparecer antes do dia

Última estrela a desaparecer antes do dia,

Pouso no teu trémulo azular branco os meus olhos calmos,

E vejo-te independentemente de mim,

Alegre pela vitória que tenho em poder ver-te,

Sem «estado de alma» nenhum, senão ver-te.

A tua beleza para mim está em existires.

A tua grandeza está em existires inteiramente fora de mim.


 

Emily Dickinson Poem 260: I’m Nobody!

I'm Nobody! Who are you?

Are you – Nobody – too?

Then there's a pair of us!

Don't tell! they'd advertise – you know!


How dreary – to be – Somebody!

How public – like a Frog –

To tell one's name – the livelong June –

To an admiring Bog!

.................................. Emily Dickinson Poema 260: Sou Ninguém! tradução de Fabio Malavoglia Sou Ninguém! Quem és tu?

És também – Ninguém – jacu?

Então somos dois, nu e cru!

Não espalhe! Ou nos metem no baú!


Muito chato – ser – Alguém!

E tão público – como um Sapo

diz seu nome – num fiapo de Verão

aclamado pela poça que o mantém

 

Das histórias do Mulá Nasrudin O Afogado Avarento (ou Na Última Hora) Um dia um homem rico e muito avarento – essa avareza era, sem dúvida, a razão da sua riqueza – caiu num rio. A correnteza o estava levando, e ele não sabia nadar. Algumas pessoas correram às margens do rio e começaram a gritar:


– Dê-nos sua mão! Dê-nos sua mão!


Mas o homem não estendia a mão e se deixava afogar.

Conta-se que ele deve sua vida a Nasrudin que, na última hora, aproximou-se da água é gritou:


– Pegue a minha mão! Pegue a minha mão!

 

...... Lao Tsé Aforismo 66 do Tao Te King (fragmento) O que faz dos rios e mares os reis dos cem vales é que ocupam espontaneamente o lugar abaixo destes. Por isso podem ser os reios dos cem vales. Assim, se o Homem Superior deseja estar acima do povo, é necessário que, ao falar, coloque-se abaixo dele. Se deseja guiar o povo, é necessário que se coloque em último plano.

 

A Mensagem Reencontrada Livro XXXIV, 11’ Não sabemos que os últimos vêm primeiro e que os primeiros vêm por último neste mundo?



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Opmerkingen


bottom of page