• Fábio Malavoglia

Episódio 24



Smith versus Robbie

Fabio Malavoglia


Nem tudo que seduz é couro, nem sempre o igual é o mesmo: num caso, tapa mero estouro, no outro, não foi dado a esmo, e o ato, nada duradouro, do tolo, ouviu só o que quis, mas nela, intuição de ouro, a fez por sua fé feliz.

 

hai-kai

Matsuo Bashô

Um relâmpago e o grito da garça perdido no escuro.


 

O Dedo do Mestre

um conto zen

Um famosos mestre zen, chamado Gu-Tei, toda vez que respondia uma pergunta sobre a doutrina levantava um dedo.

Um dos seus discípulos começou a imitá-lo. O mestre ficou sabendo disso. E na primeira vez que encontrou aquele discípulo lhe perguntou:

– "Discípulo, o que é a Verdade?”

O rapaz levantou o dedo. Num movimento fulminante, Gu-Tei puxou uma faca muito afiada e cortou fora o dedo erguido.

O outro berrou, em choque, e começou a correr para buscar socorro, quando Gu-Tei o deteve com um grito muito forte:

– DISCÍPULO!

O rapaz parou e olhou através das lágrimas para seu Mestre, que repetiu a pergunta:

– “O que é a Verdade?” Gu-Tei tinha um dedo levantado. O discípulo foi levantar o seu. Mas percebeu... que não havia mais dedo. Então se inclinou ante o Mestre E neste instante... ele se iluminou.


 

Dezessete haikus

(haiku 1)


Jorge Luís Borges

tradução de Josely Vianna Baptista

Algo disseram a tarde e a montanha. já me fugiu.

 

hai-kai

Matsuo Bashô

Admirável aquele que diante do relâmpago não diz: a vida foge

 

Um relato de John Cage

(do livro De Segunda a Um Ano)

Quatro ou talvez cinco anos atrás, eu estava conversando com Hidekazu Yoshida. Estávamos no trem de Donaueschingen para Colônia. Mencionei o livro de Herringel, chamado “A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen”; o clímax melodramático deste livro ocorre com um arqueiro acertando na mosca do alvo, apesar de estar em escuridão total. Yoshida me falou que havia uma coisa que o autor esqueceu de destacar, ou seja, que vive atualmente no Japão um arqueiro altamente estimado que nunca foi capaz de acertar na mosca nem na mais clara luz do dia.


 

A coisa

Fabio Malavoglia

Esta é a coisa, depois é incerta,

e ainda, ainda, e incerta ainda.

Escapa a coisa nessa berlinda, e tem mil formas, além de esperta


 

A vista penetrante

Louis Cattiaux tradução de Fabio Malavoglia Como ninguém sabia encontrar a palavra que ele pedia,

o mestre tirou o peixe da água,

e o jogou no chão dizendo: “Ele entra.”

Mas um monge de imediato repôs o bicho na água,

respondendo: “Ele sai.”

E entre dez mil buscadores,

dali em diante só dois conheceram a única verdade.


 

A flauta

um conto zen


"Certa tarde de outono, o mestre Ikyyu vagueava pelos campos, levando consigo um a flauta de bambu. Um eremita, ao vê-lo perguntou : - Quem és tu ? - Sou um peregrino que segue para onde sopra o vento. Tencionando pô-lo em apuros o eremita perguntou : - E quando o vento não sopra? - Então sopro eu - Respondeu Ikyyu, e começou a soprar sua flauta."


 

Evangelho de Mateus

5: 38 e 39


Ouvistes que foi dito olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não resistais ao mal; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra.


 

A Mensagem Reencontrada

Louis Cattiaux - Livro XXXV, 16

Os golpes que nos chegam nos iluminam maravilhosamente, mas muito poucos o compreendem, e muito poucos tiram proveito disto no mundo.

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo